Joinville possui a maior extensão de ciclovias de Santa Catarina

Em Joinville, 63.800 moradores utilizam a bicicleta como meio de transporte, de acordo com a Engenheira Civil de Infraestrutura e coordenadora de Mobilidade da Prefeitura de Joinville, Daiane Bertoldi. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Joinville atualmente conta com 580 mil moradores. Daiane afirma que o município possui a maior extensão de ciclovias comparada com as outras regiões do estado: 168,7 km de rede cicloviária, sendo 2,8 km de ciclorrotas, 14 km de ciclovias, 11,8 km de calçadas compartilhadas e 140,1 km de ciclofaixas.
A engenheira indica que o cronograma de sinalização horizontal, que visa melhorar a sinalização das ruas, está em vigor e é administrado pelo Departamento de Trânsito de Joinville (Detrans).
Até o momento, foram realizadas repinturas nos bairros Bucarein, Saguaçu, Boa Vista e Guanabara. Além disso, foi revitalizada toda as sinalização horizontal das ruas que formam o binário do Iririú numa extensão de 4,5 km, de acordo com o Detrans. As repinturas reforçam a sinalização de ciclofaixas existentes e criam nova sinalização, como por exemplo, as ciclorrotas em vias que se enquadram na velocidade de compartilhamento de 30 km/h.
O Plano de Mobilidade de Joinville (PlanMOB) foi implementado em 2014 e atende às diretrizes estabelecidas pelo Ministério das Cidades, conforme a Lei Federal 12.58712. Um dos objetivo geral deste Plano, segundo o Caderno PlanMOB divulgado em 2016, é promover o transporte cicloviário nas cidades com o objetivo de reduzir o uso de veículos automatizados. Contudo, o plano avança lentamente.
Luiz Antonio Carletto, presidente do movimento Pedala Joinville e contribuinte do PlanMOB, cita que existem pontos bons para andar de bicicleta, como a Rua Max Colin e a Timbó, mas a a maioria das ruas ainda são perigosas para os ciclistas.
Com o grande número de ciclistas, o número de acidentes também é alto. De acordo como Corpo de Bombeiros Voluntários, de janeiro de 2017 a 9 de outubro de 2018, houve um total de 971 ocorrências, 12 só nos primeiros dias de outubro.
O estudante Guilherme dos Santos, 15, usa diariamente sua bicicleta e as ciclovias para se locomover na cidade, entre a escola, casa e curso. Mesmo com ciclovias em todo seu trajeto, ainda assim existem espaços em que ele precisa usar a calçada, o que pode causar incidentes. Guilherme já sofreu um acidente com moto, o condutor não notou sua presença e acabou atropelando-o sobre a ciclovia, na saída de um condomínio.
Para estes casos existe o Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT), que funciona da forma que se o ciclista cair da bicicleta o seguro não indeniza. Porém, se o acidente envolver um veículo automotor, o seguro paga.
No site do Pedala Joinville, ainda é possível reclamar de alguma irregularidade que exista em ciclovias. Após a reclamação, o Pedala entra em contato com a prefeitura. Entretanto, apenas alguns buracos são arrumados e ainda existe demora no processo.
Os principais objetivo do Pedala são difundir e incentivar o uso da bicicleta, construir um ambiente harmônico com veículos automotores, propor soluções sustentáveis na mobilidade urbana e a condução segura dos ciclistas.

Por: Vinícius Pietschmann

Foto: Salmo Duarte (Agência RBS)

Conteúdo original do Primeira Pauta Impresso, edição 143.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *