Governador de Santa Catarina marca presença na COP26

Objetivo da conferência da ONU é combater as mudanças climáticas

A COP26 aconteceu em Glasgow, na Escócia, em novembro deste ano. O evento tem o intuito de combater as mudanças climáticas a partir de ações conjuntas entre as nações. Nesta edição, a meta foi estimular os países a zerar as emissões de carbono até 2050, desta forma, eles alcançariam a neutralidade de carbono. 

A Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP) é a maior e mais importante conferência sobre o clima do planeta. A primeira edição do evento foi realizada em Berlim, na Alemanha, em 1995. Participam dela 197 países membros da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (UNFCCC). A reunião acontece anualmente para avaliar os progressos e as dificuldades das nações em lidarem com as mudanças do clima e seus impactos nas esferas econômica, ambiental e social. A edição de 2020 foi adiada devido a pandemia da Covid-19.

Também foi  debatido o Acordo de Paris, que busca manter o aquecimento global abaixo de 2°C neste século, além de seguir com os esforços para mantê-lo abaixo de 1,5°C. 

O Brasil está entre os países mais poluidores do mundo, aparecendo em quarto lugar no ranking de emissões desde 1850. A maior parte da emissão de gases do país vem do uso do solo para pecuária e agricultura e da derrubada de florestas. O país também apresentou novas diretrizes para ajudar na estratégia voltada à neutralidade climática, como zerar o desmatamento ilegal até 2028: 15% ao ano até 2024, 40% em 2025 e 2026, e 50% em 2027; Recuperar 30 milhões de hectares de pastagens degradadas; Restaurar e reflorestar 18 milhões de hectares de florestas até 2030; Em 2030 alcançar a participação de 45% a 50% das energias renováveis na composição da matriz energética; Incentivar a ampliação da malha ferroviária.

O governador do estado de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva (sem partido), que participou do evento, assinou a Rede de Governos Locais pela Sustentabilidade (Iclei) da América do Sul, um termo de adesão ao acordo de desenvolvimento sustentável. Esse documento firma o compromisso do estado em reduzir em 50% a emissão do gás carbônico até 2030 e atingir a neutralidade até 2050.

Além disso, Moisés apresentou para o diretor de Advocacia Global do ICLEI, Yunus Arikan, ações que o Estado já colocou em prática.  Elas são focadas na redução da emissão de gases de efeito estufa, como o investimento de R$ 300 milhões para a proteção e recuperação de nascentes, sistemas que ajudam a fiscalização por órgãos ambientais, a implantação de uma rede de postos para recarga de carros elétricos, além de incentivos fiscais a empresas comprometidas com a proteção ambiental.

A comitiva do governo catarinense também se reuniu com integrantes do Banco Europeu. No encontro, foram expostas linhas de crédito específicas para investimentos nas ações debatidas durante a COP26. Entre elas, se destacam a preservação de nascentes, energias renováveis, recuperação ambiental e produção de água potável.

Após o retorno da COP26, o governador e integrantes do governo se reuniram com representantes da  General Motors (GM) para atuarem juntos em um Grupo de Trabalho para planejar e incentivar a eletromobilidade no Estado. O intuito é desenvolver ações que envolvam o  processo de transição, com o uso dos novos modelos de veículos elétricos que ajudem a reduzir a emissão de gases poluentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *