Copa 2022: Catar inova em sustentabilidade, mas fere direitos humanos

Copa 2022: Catar inova em sustentabilidade, mas fere direitos humanos

Polêmicas sobre explorações trabalhistas ofuscam construções ecológicas

A copa do mundo de futebol masculino é um dos eventos esportivos mais importantes do planeta. A edição da Copa do Mundo de 2022, sediada no Catar, será marcada pelas novidades tecnológicas e inovações sustentáveis. Por outro lado, o país passa por problemas quanto aos direitos humanos.

O plano do governo catari é fazer com que esta Copa seja um exemplo em estruturação e sustentabilidade. A maioria dos estádios estão sendo construídos com materiais sustentáveis. Há exemplos como o Ahmed bin Ali, na cidade de Al Rayyan, no qual as arquibancadas são feitas com produtos recicláveis. Já o estádio Abu Aboud possui materiais que poderão ser reutilizados após os jogos.

O Abu Aboud é um dos estádios mais modernos quando se fala em preservação. Por ser feito com contêineres, ele permite que, após a copa, seja desmontado e o local seja preservado. O Education City também é um dos exemplos quando o assunto é sustentabilidade, já que 55% do estádio foi feito com materiais bio sustentáveis e 28% deles são feitos com produtos recicláveis, reduzindo a emissão de carbono durante o processo de construção da arena. A organização do evento também investiu nos transportes públicos, como ônibus e metrôs, para acesso ao local dos jogos. 

Porém, desde a escolha do país como sede para o evento, a Anistia Internacional analisa o respeito aos direitos trabalhistas. “O Catar procedeu um certo número de reformas positivas nos últimos anos. Mas milhares de trabalhadores migrantes continuam sendo explorados e sendo vítimas de abusos”, afirmou a Anistia em um comunicado. Portanto, a construção de modernos e sustentáveis estádios é feita por trabalhadores que nem sempre tem seus direitos garantidos. A reportagem do jornal britânico The Guardian afirma que ao menos 6.500 trabalhadores morreram desde o início das obras. O governo local alega que as mortes são por causas “naturais”.

As polêmicas ao redor da preparação para o mundial fez com que alguns jogadores deixassem de ir à copa. “Os imigrantes são submetidos a jornadas de trabalho contínuas, sob temperaturas de 50ºC, não são alimentados de forma digna e não têm acesso a água potável”, afirmou o jogador alemão do Real Madrid, Toni Kroos, em um podcast com o seu irmão Félix Kroos.

Além das declarações do jogador madridista, a seleção dinamarquesa, que já está classificada para Copa do Mundo de 2022, também prepara um boicote contra o governo que sediará a competição. “Estamos intensificando ainda mais nossos esforços por um diálogo crítico. Vamos aproveitar o fato de estarmos classificados para trabalhar por mais mudanças no país”, declarou Jakob Jensen, presidente da Federação Dinamarquesa de Futebol, em comunicado oficial.

A seleção dinamarquesa chega ao Catar com a mensagem de  “direitos humanos dentro e fora de campo”. A Federação Norueguesa também tinha seus planos de boicotar a Copa com mensagens de apoio às possíveis vítimas de trabalho abusivo, mas a Noruega não se classificou para o torneio. 

Temperaturas altas podem prejudicar rendimento de atletas no Catar

A temperatura média do país sede é de 32°C, e com as poucas chuvas, o clima durante o ano é seco. Para isso, o governo catari investiu na compra de ar-condicionados para serem instalados nas arenas, deixando um clima mais ameno para os jogadores e torcida dentro dos estádios.

“O tempo é um fator que pode interferir completamente quando falamos de temperaturas altas. Os jogadores poderiam passar mal, chegando inclusive a vomitar antes ou durante os jogos, ter problemas na pele devido ao contato com o calor, além de um cansaço mais rápido durante as partidas e outros problemas”, fala Bruno Zenn, pós graduado em educação física. 

Segundo o cardiologista Nabil Ghorayeb, chefe da seção CardioEsporte do Instituto Dante Pazzanese Cardiologia, o calor ocasiona em 75% das vezes cãibras. O professor de educação física completa: “com isso tudo, podemos ver que é extremamente necessário um ambiente que ofereça aos atletas boas condições para jogar as partidas pelas suas seleções.” 

Para que o evento possa ser realizado, será estritamente necessário o uso dos ar- condicionados e os ambientes criados para favorecer um jogo mais competitivo e movimentado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *